Giovane Gavio

Foram 20 anos de uma carreira vencedora. Poucos atletas se identificaram tanto com a camisa amarela como Giovane Gávio, eterno número 3 da Seleção Brasileira de vôlei.
 
Foi Bicampeão Olímpico (Atenas-2004 e Barcelona-92), Tetracampeão da Liga Mundial, Campeão Mundial, diversas vezes campeão sul-americano, entre outros. Isso para falar apenas das conquistas pelo Brasil, tendo sido eleito ainda, em ocasiões diferentes, “melhor atacante do mundo”, “melhor bloqueador do mundo” e, nada mais justo, “melhor jogador do mundo”.
 
Aos 34 anos, Giovane deixou seu nome na História do esporte e abandonou a Seleção Brasileira no auge, exaustivamente elogiado por sua conduta dentro e fora de quadra, fazendo parte daquela que já está sendo considerada a melhor equipe de todos os tempos.
 
Conquistou inúmeros títulos com a camisa da Seleção, nos clubes e na praia, por onde esteve durante três anos e foi campeão brasileiro (1998), ao lado do companheiro e amigo Tande.
 
Após a vitoriosa carreira, Giovane se aventurou como ténico de vôlei, tendo grande sucesso desde o início, sendo campeão catarinense dirigindo a Unisul (2007), Paulista (2010) e da Superliga Masculina (2011), dirigindo o SESI-SP.
 
E é justamente um pouco dessa trajetória, marcada por dedicação, conquistas e muito sacrifício, que Giovane conta em sua palestra motivacional.
 
Palestra: 
 
Em sua palestra motivacional “A Glória é fruto do trabalho”, Giovane Gávio trata de uma maneira muito especial, o papel de cada um dentro do que desempenha. Seu destaque não é para a função que ocupamos, mas, para aquilo que podemos realizar nela.